Apoie o Blog!

domingo, 13 de setembro de 2020

MY STORY WITH THE "VING TSUN GEUK JONG"

 

(Com meus Dai Ji Vitor Sá e Keith Markus,durante café da 
manhã que precedeu sua primeira prática com o "Geuk Jong")

(With my Dai Ji Vitor Sá and Keith Markus, during breakfast
morning that preceded his first practice with "Geuk Jong")

Ainda em 2003, tivemos um almoço na antiga casa da Si Suk Ines Braconnot, numa manhã de Domingo. Ao chegar lá, percebi que havia um "Geuk Jong" em um ponto reservado de seu quintal. Enquanto o almoço era preparado e as pessoas confraternizavam, Si Fu me chamou, e perguntou-me se eu já havia trabalhado no "Geuk Jong". Respondi que já havia visto o que existia no antigo Núcleo Central em São Paulo, mas que nunca havia trabalhado nele.
Si Fu passou-me algumas poucas diretrizes sobre como realizar o trabalho. Eu fiquei parado esperando que ele me mostrasse a sequência de movimentos que deveria tentar executar a seguir. Afinal, tinha sido assim durante toda a jornada até ali. Então Si Fu disse-me, que não existia uma sequencia, mas que havia apenas um jeito "certo" de fazer.

 Still in 2003, we had lunch at Si Suk Ines Braconnot's former house, on a Sunday morning. Upon arriving there, I realized that there was a "Geuk Jong" in a reserved spot in her yard. While lunch was being prepared and people were socializing, Si Fu called me, and asked me if I had ever worked at "Geuk Jong". I replied that I had already seen one  in São Paulo, but that I had never worked on it.
Si Fu gave me a few guidelines on how to do the work. I stood waiting for him to show me the sequence of movements I should try to perform next. After all, it had been that way throughout the journey there. Then Si Fu told me, that there was no sequence, but that there was only one "right" way to do it.

(Os participantes do evento de integração do Núcleo Jacarepaguá,
sentam-se em mesas num ambiente agradabilíssimo proporcionado pela Si Suk Ines.
Enquanto isso, eu estava praticando no "Geuk Jong")

Participants at the Jacarepaguá School integration event,
they sit at tables in a very pleasant environment provided by Si Suk Ines. Meanwhile,
 I was practicing at "Geuk Jong")


Fiquei lá sozinho tentando entender o que deveria ser feito enquanto todos confraternizavam. Existia um sentimento de vazio muito grande, que me fazia olhar de soslaio para a área da varanda onde estavam as mesas vez ou outra. Queria saber se Si Fu ao menos checava de vez em quando. Porém, ele ria e conversava como todos os demais.

Não havia experimentado um sentimento como aquele até então: Uma espécie de solidão e de dúvida muito grandes. Não sabia se o que estava fazendo era o que deveria ser feito. Em outros momentos pensava em parar, mas aí considerava que isso era uma espécie de desistência e eu não queria desistir ali naquele momento.
Em determinado momento acabei parando porque já não sabia mais o que fazer, Si Fu pareceu finalmente me notar e perguntou em tom provocador: "Cansou?" – Respondi que "Não" com veemência, e voltei a praticar seja lá o que estivesse praticando.
Muitos minutos se passaram até que Si Fu finalmente disse: "Chega... Já deu já".

I stood there alone trying to understand what should be done while everyone was fraternizing. There was a feeling of emptiness that made me look sideways at the porch area where the tables were at times. I was wondering if Si Fu payed some attention on me. However, he  was just laughing and talking like everyone else, in some fun conversation.
I had not experienced a feeling like that until then: A kind of loneliness and very great doubt. I didn't know if what I was doing was what should be done. At other times I thought about stopping, but then I considered that this would be giving up, and I didn't want to give up there at that moment.
At a certain point I ended up stopping because I no longer knew what to do, Si Fu finally seemed to notice me and asked in a provocative tone: "Already Tired?"- I replied  'No' vehemently, and went back to practicing whatever I was practicing.
Many minutes passed before Si Fu finally said: 'That´s enough ... It's done already'.
( O "Rei do Bastão" da Família Moy Jo Lei Ou Carlos Antunes. Usa suas habilidades com o Ving Tsun Gwan, para que o Daai Si Hing da Família, Leonardo Reis, pudesse trabalhar o "Baat Jaam Do". 
Em primeiro plano, é possível observar os "Geuk Jong")

(The "King of the Gwan" of the Moy Jo Lei Ou Family Carlos Antunes. He uses his skills with the Ving Tsun Gwan, so that the Family's Daai Si Hing, Leonardo Reis, could work the "Baat Jaam Do".
In the foreground, it is possible to observe the "Geuk Jong")

Passaram-se nove anos até que pudesse ter uma nova oportunidade no ‘Geuk Jong’. Desta vez, estávamos no Mo Gun que ficava no Condomínio Interlagos de Itaúna. Era o ano de 2012, e um ‘Geuk Jong’ fora montado. Já não me incomodava mais em praticar sozinho. Como numa estranha coincidência, sempre que Si Fu dedicava tempo a sentar-se na escadaria para conduzir uma prática de ‘Geuk Jong’, era justamente um dia em que eu não estaria no Mo Gun.
Às vezes, eu propunha desafios a mim mesmo: "O quão rápido consigo chutar os postes sem repeti-los, dentro e fora e sem parar para pensar? ", "Será que consigo fazer a mesma coisa usando ‘Jiu Sik’ em que os pés não saiam do chão?" , "Será que posso imaginar que estou lutando com vários adversários?" .... Porém, teve um dia em que algo especial aconteceu: Apesar de óbvio, eu me perguntei se os postes não poderiam representar apenas uma pessoa, e que seus pés estaria em movimento[três postes]. Naquele dia, comecei a perceber os troncos se movendo no chão. Mesmo sem saber o que fazer nove anos depois, comecei a perceber o que não deveria fazer.
Então finalmente numa manhã de Sábado, Si Fu pediu que Si Hing Leo trabalhasse o ‘Geuk Jong’ comigo. Não lembro de nada desse trabalho, a não ser uma pergunta do Si Hing que me marcaria para sempre: "...Deixa eu fazer uma pergunta pra você: Você... Consegue ver esses caras mexendo no chão?..."- Respondi energeticamente que sim. Ele riu, e começamos a compartilhar sobre essa estranha sensação de ver os troncos trocando de lugar no solo. Acho que foi um daqueles momentos mágicos da minha jornada. Afinal, mesmo praticando ‘no escuro’ e sem nunca termos conversado sobre, chegamos a uma conclusão parecida.

Nine years passed before I could have a new opportunity on "Geuk Jong". This time, we were at Mo Gun, which was at  Interlagos de Itaúna. It was 2012, and a ‘Geuk Jong’ was set up. I no longer bothered to practice alone. As if in a strange coincidence, whenever Si Fu spent time sitting on the steps to conduct a 'Geuk Jong' practice, it was just a day when I wouldn't be at Mo Gun.
Sometimes, I proposed challenges to myself: "How fast can I kick the posts without repeating them, in and out and without stopping to think? ","Can I do the same thing using some 'Geuk Faat' in which the feet do not leave the ground?","Can I imagine that I am fighting with several opponents?".... However, there was a day when something special happened: Although obvious, I wondered if the posts could not represent just one person, and that his feet would be moving [ three posts]. That day, I started to notice the trunks moving on the ground. Even without knowing what to do nine years later, I started to realize what I shouldn't do.
So finally on a Saturday morning, Si Fu asked Si Hing Leo Reis to work ‘Geuk Jong’ with me. I don't remember anything about this work, except a question from Si Hing that would mark me forever: "...  Can I ask you a question ... Can you see these guys moving on the floor? ..."- I replied energetically that yea. He laughed, and we started to share about this strange feeling of seeing the pillars changing places on the ground. I think it was one of those magical moments of my journey. After all, even practicing ‘in the dark’ and having never talked about it, we came to a similar conclusion.
(Na noite antes da inauguração do primeiro endereço do Núcleo Méier. 
Tivemos um Seminário de Titulação Tutorial do Domínio "Mui Fa Jong". Na foto, acabávamos de jantar com Si Gung e Si Fu antes do início do Seminário. Era 2012, 
mas Si Hing Leonardo ainda usava pochete)

(The night before the opening of the first address of  Méier School. We had a  Seminar of the Domain "Mui Fa Jong". In the photo, we had just had dinner with
 Si Gung and Si Fu before the Seminar started.)
(Depois de muito insistir, descemos pouco depois das 1h da manhã, para trabalhar o Componente Associado "Geuk Jong". Na foto, executo os movimentos observado por Si Gung e meus Si Suk)

(After much insistence, we went down shortly after 1 am to work on the Associated Component "Geuk Jong". In the photo, I perform the movements observed by Si Gung and my Si Suk)


Alguns meses depois, teríamos a inauguração do Núcleo Méier. Para aproveitar a vinda de Si Gung, que participaria do evento. Si Fu me deu a oportunidade de escolher qual instrumento trabalhar na noite da véspera. Escolhi o ‘Seminário de Titulação Tutorial do Domínio Mui Fa Jong’. Pois apesar de já te-lo feito em 2007 e 2009, nunca havia dado tempo de chegar no ‘Geuk Jong’.
A noite ia avançando, e quando estávamos próximos a 1 hora da manhã, Si Gung perguntou se poderíamos parar por ali. Eu perguntei: "Mas e o Geuk Jong?" – Todos os presentes riram e Si Gung resolveu descer as escadas e começamos a trabalhar esse componente associado. Ele pediu que eu fizesse, fez algumas observações e era isso. Uns dez minutos e acabou.

A few months later, we would have the inauguration of Meier School. To take advantage of the arrival of Si Gung, who would participate in the event. Si Fu gave me the opportunity to choose which instrument to work on the night before. I chose the ‘Mui Fa Jong Domain  Seminar’. Because despite having already done it in 2007 and 2009, we had never had time to reach ‘Geuk Jong’.
The night was progressing, and when we were close to 1 am, Si Gung asked if we could stop there. I asked: "But what about Geuk Jong?" - Everyone present laughed and Si Gung decided to go down the stairs and we started working on this associated component. He asked me to do it, made some observations and that was it. About ten minutes and it's over.

Oito anos mais tarde...
Eight years later ...

Com o tempo, passei a acreditar que quando alguém elogia seu "Kung Fu", na verdade é um elogio ao trabalho que seu Si Fu fez com você. E sentado numa cadeira observando Vitor e Keith, dois de meus discípulos, enroscarem o fabuloso "Geuk Jong" do Núcleo Ipanema para iniciarem sua primeira prática neste aparelho. Me perguntei que tipo de artistas marciais estava ajudando a formar. 
Era uma manhã agradável de Sábado, e usávamos o Núcleo Ipanema, dirigido pelo meu irmão Kung Fu Cláudio Teixeira. Ele gentilmente cedeu as chaves para que eu pudesse fazer esse trabalho com minha Família. 

Over time, I came to believe that when someone praises your "Kung Fu", it is actually a compliment to the work that your Si Fu did with you. And sitting in a chair watching Vitor and Keith, two of my disciples, preapring the fabulous "Geuk Jong" of the Ipanema School to start their first practice on this device. I wondered what kind of martial artists I was helping to form.
It was a pleasant Saturday morning, and we used the Ipanema School, run by my brother Kung Fu Cláudio Teixeira. He kindly handed over the keys so that I could do this practice with my Family.
Você pode não acreditar, mas foi um daqueles dias em que a conexão acontece. Eu realmente me concentrei muito em trazer a presença de meu Si Fu em minha mente. Eu estava fazendo isso, porque a experiência dele é muito mais vasta do que a minha como Si Fu. Então, é como usar um segundo cérebro a seu favor. Não me perguntei "O que o Si Fu faria?" - Eu simplesmente trouxe a presença dele. Às vezes eu tinha algo que pensava ser interessante de se dizer, mas pensava comigo, se era uma necessidade minha ou algo que o cenário pedia. Então ficava em silêncio. E ficava em mais silêncio. 
Misteriosamente, meus discípulos praticavam de forma concentrada sem esperar que eu intercedesse. Naquele momento, entendi o "silêncio" do Si Fu em 2003 na casa da Si Suk Inês. E pude perceber também, a vantagem que a maturidade traz no aprendizado do Ving Tsun. Pois naquele ano de 2003, eu ainda era muito imaturo. 

You may not believe it, but it was one of those days when the connection takes place. I really focused a lot on bringing the presence of my Si Fu to my mind. I was doing this, because his experience is much wider than mine as Si Fu. So, it's like using a second brain to your advantage. I didn't ask myself "What would Si Fu do?" - I just brought his presence. sometimes I had something that I thought was interesting to say, but I thought to myself, if it was my need or something that the scenario asked for. So I was silent. And it was more silent.
Mysteriously, my disciples practiced in a concentrated way without waiting for me to intercede. At that moment, I understood Si Fu's "silence" in 2003 at Si Suk Inês' house. And I could also see, the advantage that maturity brings in learning Ving Tsun. In that year 2003, I was still very immature.
Ficamos ali duas horas sem descanso. Não porque decidimos, mas porque o fluxo nos levou até o momento em que me veio a clara voz de Si Fu daquele mesmo Domingo de 2003 dizendo: "Chega! Já deu já!". Era como se uma espécie de "Tetris" infernal tivesse sido montado por duas horas. Cada palavra, cada nova abordagem a ser trabalhada, tudo pareceu se encaixar. Foi uma manhã e tanto. 
Então, acho que meu papel na maioria dos casos, deve ser só não manipular a experiência do meu descendente. Por mais que seja com uma boa intenção. Saber ficar em silêncio, parece-me agora ser também  uma arte. 

We stayed there for two hours without rest. Not because we decided, but because the flow took us to the moment when Si Fu's clear voice came to me on that same Sunday in 2003 saying: "That´s enough! It's done!" It was as if a kind of hellish "Tetris" had been put together for two hours. Each word, each new approach to be worked on, everything seemed to fit together. It was quite a morning.
So, I think my role in most cases should be just not to manipulate my descendant's experience. As much as it is with a good intention. Knowing how to be silent now seems to me to be an art as well.



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com