Apoie o Blog!

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Series of remote meetings with Master Julio Camacho on “Cham Kiu'“.


 Iniciou-se na noite da última Quarta[dia 23.09.20], uma série de novos encontros remotos com meu Mestre Julio Camacho. Desta vez, será abordado o 'Cham Kiu', segundo Domínio do Sistema Ving Tsun. 
Para mim em particular, continua sendo um processo de atualização muito forte, este tipo de encontro. Sempre tive meu Si Fu muito próximo e muito acessível, e esse distanciamento forçado, vem me fazendo repensar toda a relação. 
Antes, encontrava Si Fu nos mais diversos locais e nas mais diversas situações. Fosse buscando ele no aeroporto ou almoçando juntos em algum shopping da Barra da Tijuca, os cenários estavam sempre mudando. Por conta dos encontros remotos, geralmente os cenários são apenas três: Quando ele faz uma chamada de vídeo de dentro do carro, quando ele está sentado em seu quarto ou diante da mesa da sala, com uma pequena estante atrás dele. - “...Pergunta a Si Mo! Eu tenho passado de 22 a 23 horas em casa...Eu que quase não parava em casa...Tem oito meses que fico de 22 a 23 horas em casa...“
Em 2008, comecei a frequentar uma casa em que Si Fu viveu devido a convites seus, para praticarmos[FOTO]. Geralmente Vladimir ou Thiago Silva estariam comigo nessas horas. E o fato de ter dentro de mim o registro de que a prática deveria ser no Mo Gun, fazia do momento algo único. Pois na foto acima, já haviam se passado sete anos desde que havia acessado o “Cham Kiu“, mas praticar com Si Fu em sua varanda de casa, sem hora marcada, era algo que tornava o momento especial. 

Last Wednesday's night, a series of new remote meetings with my Master Julio Camacho began. This time, the 'Cham Kiu'  Domain will be approached.
For me in particular, it remains a very strong updating process, this type of meeting. I always had my Si Fu very close and very accessible, and this forced distance has been making me rethink the whole relationship.
Before, I used to meet Si Fu in the most diverse places and in the most diverse situations. Whether I was looking for him at the airport or having lunch together in some shopping mall in Barra da Tijuca, the scenarios were always changing. Because of the remote meetings, there are usually only three scenarios: When he makes a video call from inside the car, when he is sitting in his room or in front of the living room table, with a small bookcase behind him. - “... Ask Si Mo! I have spent 22 to 23 hours at home ... I hardly used to stop at home ... I have spent 22 to 23 hours at home for eight months ... "
In 2008, I started going to a house where Si Fu lived due to his invitations, to practice [PHOTO]. Usually Vladimir or Thiago Silva would be with me at those times. And the fact that I had the record that the practice should be at Mo Gun, made those moments unique ones. Because in the photo above, it had been seven years since I had accessed “Cham Kiu“, but practicing with Si Fu at his home balcony, without an appointment, was something that made the moment special.

Me tomando como referencia, as vezes imagino que Si Fu, assim como Jeff Bridges no filme “Tron“ de 1982. Ficara preso dentro de uma máquina. A diferença é que a máquina é um celular e não um fliperama. Então penso que poderia ser pior...Poderíamos estar ainda na era do ICQ ou quando as câmeras tinham aquela imagem “pixelada“ em que a pessoa ficava com movimentos “picotados“ do outro lado da tela.... 
Então, logo ontem, Si Fu falou da importância de se praticar o Cham Kiu em diferentes terrenos, com diferentes inclinações e superfícies. Essa fala me tocou muito, pois me remeteu aos momentos em sua varanda no final dos anos 2000 em Jacarepaguá, e o quanto aquelas práticas marcaram minha jornada. 
Essa sugestão aparentemente tão simples, me provocou uma tomada de consciência. Pois ao invés de lamentar a distancia e me entregar a nostalgia. Desta vez posso experimentar um novo tipo de conexão...Seja comigo mesmo ao me propor a viver a viver a aventura do Cham Kiu em diferentes terrenos aos trinta e seis anos de idade. Ou de pensar em como estar conectado com Si Fu mesmo a distancia. Pois chegará um dia, em que nem na tela do celular um de nós dois vai mais estar. E só o que sobrará é a conexão de coração com coração.

Taking me as a reference, I sometimes imagine that Si Fu, like Jeff Bridges in the 1982 film “Tron”, had been trapped inside a machine. The difference is that the machine is a cell phone and not an arcade. So I think it could be worse ... We could still be in the ICQ era or when the cameras had that “pixelated” image  on the other side of the screen ....
Then, just yesterday, Si Fu spoke of the importance of practicing Cham Kiu on different terrains, with different slopes and surfaces. This speech touched me a lot, because it reminded me of the moments on your balcony in the late 2000s in Jacarepaguá neighborhood, and how much those practices marked my journey.
This seemingly simple suggestion made me renew my awareness. For instead of regretting the distance and giving me nostalgia. This time I can experience a new type of connection ... Be with me when I propose to live the Cham Kiu adventure in different grounds at thirty-six years old. Or to think about how to be connected with Si Fu even from a distance. For a day will come when neither of us will be together in the same place or on the phone screen. And all that is left is the heart-to-heart connection.



The disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira “Moy Fat Lei“
moyfatlei.myvt@gmail.com