Apoie o Blog!

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

How can we learn to stop bulshitting using "Jing Choei" (戰 捶) and “Ok”


O uso de posições corporais exóticas pelo Sistema Ving Tsun, faz com que precisemos nos reorganizar estruturalmente quando vamos praticar. Ao longo do tempo, conseguimos descobrir atalhos ou remendos, e apelamos para a força usurpadora sem perceber enquanto praticamos com alguém. Os anos passam, e voce finalmente se depara com o "Jing Choei" (戰 捶). 
O "Jing Choei" (戰 捶) é um trabalho muito curioso, pois é requisitado a você, que golpeie com tudo o que você tem, mas você precisa obedecer alguma regras como: Golpear com as duas mãos no mesmo ponto e não tirar o pé do chão ao golpear. 
Essa posição pode vir a ser tão incomoda, que muitos desistem de praticá-la. Contornamos o desconforto e nos convencemos de que “Já deu”. E por mais que seu Si Fu deseje verdadeiramente ajudá-lo, só cabe uma pessoa no  "Jing Choei" (戰 捶): Você. 

The use of exotic body positions by the Ving Tsun System makes us need to structurally reorganize ourselves when we go to practice. Over time, we are able to discover shortcuts or patches, and we appeal to the usurping force without realizing it while practicing with someone. Years pass, and you finally come across "Jing Choei" (戰 捶).
The "Jing Choei" (戰 捶) is a very curious practice, as you are required to hit with everything you have, but you need to obey some rules like: Hitting with both hands at the same point and not taking the foot off the ground when striking.
This position can become so uncomfortable that many give up on practicing it. We work around the discomfort and convince ourselves that “It's ok for now”. And as much as your Si Fu  wants to help you, there's only one person in the "Jing Choei" (戰 捶): You.

[Eu e meu Si Fu em um jantar durante sua visita mais recente ao Brasil]
[Me and my Si Fu at a dinner during his latest visit to Brazil]

Existe um termo em inglês que se diz “bulshitting”. Então seja na relação com seu Si Fu ou na prática do  "Jing Choei" (戰 捶), não vai existir espaço para  “bulshitting”. E por conta disso, uma das coisas que aprendi com meu Si Fu nos últimos anos é responder  “Ok”, quando me comunico por mensagem. 
O  “Ok” quando respondido por mensagem, tem um poder muito grande, principalmente se a pessoa do outro lado está num processo de “bulshitting”. Então é como se voce apenas dissesse: “ Ei cara, não tenho tempo a perder com besteira!Se você quer conversar nós podemos, mas para isso, não tenho tempo.” - E tudo isso é dito com um “Ok”. E isso só é possível, porque segundo meu Si Fu: “...A linguagem do Kung Fu, comumente é silenciosa...” . 

There is an term in english called “bulshitting”. So whether in the relationship with your Si Fu or in the practice of "Jing Choei" (戰 捶), there will be no space for "bulshitting". And because of that, one of the things I've learned with my Si Fu in recent years is to answer “Ok”, when I communicate by message.
The “Ok”, when answered by message, has great power, especially if the person on the other side is in a “bulshitting” process. So it's like you just say, “Hey man, I don't have time to waste on bullshit! If you want to talk we can, but for that, I don't have time.” - And all this is said with an "Ok". And this is only possible, because according to my Si Fu: “...The language of Kung Fu is usually silent...” - He says.

[Si Gung corrige minha postura durante um seminário]

[Si Gung corrects my posture during a seminar]

Então com o  "Jing Choei" (戰 捶), o mesmo ocorre: Você tem a possibilidade de se desenvolver, mas o desconforto deste trabalho [Assim como o da Vida-Kung Fu], faz com que você prefira começar o processo de dar desculpas. Porém, só está você ali. Então quando você diz: “Ei cara, sabe de uma coisa? Acho que já deu por hoje!”  - Para quem você exatamente está mentindo? 
No  "Jing Choei" (戰 捶) e na vida, nunca paramos na metade. Nós vamos até o final. 

So with "Jing Choei" (戰 捶), the same happens: You have the possibility to live it and develop yourself, but the discomfort of this practice [As well as the Kung Fu-Life], makes you prefer to start the process to make excuses . However, only you are there. So when you say, “Hey man, you know what? I think it's done for today!" - Who exactly are you lying to?
In "Jing Choei" (戰 捶) and in life, we never stop halfway. We go to the end.



The Disicple of Master Julio Camacho

Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com