Apoie o Blog!

quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Master Class: The tune between Si Fu and Carlos Antunes

 

Alguns anos atrás voltei para casa com a frase que meu Si Fu acabara de me dizer: “A vida pode ser leve, Pereira”. - Aquela frase veio em um momento onde era impossível acreditar em leveza, com tudo o que estava se passando. Era o final de 2017, e muitas coisas não iam bem. Acontece que poucos meses atrás, conversando com meu irmão Kung Fu Carlos Antunes. Pude ouvir dele [num linguajar mais íntimo devido a nossa relação], sobre um determinado assunto que eu trouxera para a conversa :“Si Hing, eu posso não ser bom com as facas na mão, mas uma coisa eu sei fazer com relação a vida:' Eu corto logo, meu irmão! Eu não arrasto essas correntes igual você não, eu corto logo! Uma 'parada' que você não vai me ver, é arrastando corrente. Isso eu entendi do 'Do' !' ” - Ao ouvir aquilo, lembrei-me da fala  do Si Fu. Percebi que “seguir junto” é algo bem profundo. Você pode estar seguindo junto de alguém, mas não totalmente. Pois lá estava eu, anos depois, ainda sem conseguir deixar “a vida leve”. E meu irmão Kung Fu mais novo, que usualmente brinca com sua dita [por ele mesmo] falta de habilidade. Com mais uma atitude completamente sintonizada com a de nosso Si Fu, ainda que nunca tivesse escutado a frase que eu ouvi, mas que por uma outra via, chegara a mesma conclusão.

A few years ago I returned home with the phrase my Si Fu had just told me: “Life can be light, Pereira”. - That sentence came at a time when it was impossible to believe in lightness, with everything that was going on. It was the end of 2017, and a lot of things weren't going well. It turns out a few months ago talking to my Kung Fu brother Carlos Antunes. I could hear from him [in a more intimate language due to our relationship], about a certain subject I had brought to the conversation: “Si Hing, I may not be good with knives in my hand, but one thing I know how to do about life :' I just cut soon, my brother! I don't drag these chains like you do, I'll cut right away! Something that you won't see me, is dragging heavy chains from the past. This I understood from 'Do'!' ” - Upon hearing that, I remembered the speech of that speech of Si Fu. I realized that “following along” is something very profound. You may be following along with someone, but not fully. Well, there I was, years later, still unable to let “life lighter”. And my younger Kung Fu brother, who usually jokes about his so-called [by himself] lack of skill. With another attitude completely in tune with that of our Si Fu, even though he had never heard the phrase I heard, but in another way, He had reached the same conclusion.


Na “Aula Master” de ontem, Si Fu começou falando da importância de uma atitude que permita ao artista, finalizar o movimento. - “Eu desenho olhos tortos igual ao Picasso, mas ele sabe colocá-los no lugar, e por isso mesmo ele transcendeu isso.” - Brincou ele. Si Fu enfatizou a importância da lamina em promover o corte, pois muitas vezes o movimento vazio com as facas que não vão até o final, não promovem isso. Da sala de seu apartamento nos EUA, ele deu alguns exemplos do dia a dia. De maneira por vezes anedótica, ele insinuou sobre situações em que não finalizamos o que nos propusemos a começar. 

In yesterday's “Master Class”, Si Fu started talking about the importance of an attitude that allows the artist to finish the movement. - "I draw crooked eyes like Picasso, but he knows how to put them in place, and that's why he transcended it." - He joked. Si Fu emphasized the importance of the blade in promoting the cut, as often the empty movement with knives that do not go all the way to the end does not promote this. From the living room of his US apartment, he gave some everyday examples. Sometimes anecdotal, he hinted at situations where we don't finish what we set out to start.


Você já parou pra pensar :“Ei cara, por que isso está acontecendo comigo?” - Eu já. E muitas vezes. É mais fácil quando um acontecimento parece vindo de lugar algum, pois assim você pode pensar em algum complô do universo contra você.  Se por acaso um acontecimento tiver se dado por uma ação clara de sua parte, talvez o processo de arrependimento seja mais doloroso. São as tais “correntes” que meu irmão Kung Fu Carlos Antunes não “arrasta”. 
E talvez tenha sido a soma de todos estes e outros momentos, que ao comentar com Si Fu sobre um determinado ponto sobre a movimentação que ele estava fazendo, fiz uma menção de como aquele conceito poderia nos ajudar a elucidar movimentos em Domínios anteriores do Sistema. E dentre outras coisas ele disse:“...Por isso, que não avançamos no Sistema porque ficamos bons. Ficamos bons, porque avançamos no Sistema...”. 

Have you ever stopped to think, "Hey man, why is this happening to me?" - I already did. And many times. It's easier when an event seems to come from nowhere, so you can think of some plot by the universe against you. If by chance an event has come about through clear action on your part, perhaps the process of regret is more painful. These are the “chains” that my Kung Fu brother Carlos Antunes doesn't “drag”.
And maybe it was the sum of all these and other moments, that when commenting with Si Fu about a certain point about the movement he was making, I mentioned how that concept could help us to elucidate movements in previous Domains of the System. And among other things he said: “…That's why we didn't advance in the System because we became skilled. We became skilled because we advance in the System...”.

Voltei para casa num vagão de metro quase vazio, minha roupa estava molhada por causa da chuva e nos meus headphones tocava :“Rachel´s song” do Vangelis. Eu estava sentado vendo minha imagem no reflexo da janela do lado oposto. De repente, minha mente voltou-se novamente para as reflexões que tive durante a aula master com Si Fu e as conversas com Carlos Antunes. Foi aí que me lembrei, que Carlos Antunes sempre exagera em sua autocrítica a respeito da sua habilidade como praticante de Ving Tsun, e do quanto sua experiência no :“Maai San Jong”[Último componente do Domínio Mui Fa Jong] em 2011 ou 2012, foi traumática para ele. Dez anos antes, quando pratiquei “Maai San Jong” pela primeira vez, minha atitude era diferente: Eu preferia entrar com tudo. - :“Posso até me machucar, mas vou acertar ele” 
Ainda sentado vendo meu reflexo na janela do vagão, percebi que hoje aguento carregar muito mais coisa e levar muito mais “porrada” do que com dezoito anos de idade praticando Maai San Jong. O que não significa que tenha que passar por isso. Por outro lado, ao avançar até o último Domínio do Sistema, Carlos Antunes desenvolveu essa habilidade de não “arrastar correntes” cortando, como se corta com as facas. Eu por outro lado, segui “entrando com tudo”, como fazia no Maai San Jong em 2002. E por isso, talvez a vida não seja tão leve para mim. Falta sintonia com o Si Fu. Coração com coração, é mais importante do que braço contra braço.

I returned home in an almost empty subway car, my clothes were wet because of the rain and my headphones was playing: “Rachel's song” by Vangelis. I was sitting watching my image in the reflection of the opposite window. Suddenly, my mind turned again to the reflections I had during the master class with Si Fu and the conversations with Carlos Antunes. That's when I remembered that Carlos Antunes always exaggerates his self-criticism regarding his ability as a Ving Tsun practitioner, and how much his experience in :“Maai San Jong”[Last component of the Mui Fa Jong Domain] in 2011 or 2012 , it was traumatic for him. Ten years earlier, when I practiced “Maai San Jong” for the first time, my attitude was different: I preferred to go in with everything. - :"I might get hurt, but I'll hit him"
Still sitting watching my reflection in the car window, I realized that today I can handle carrying a lot more stuff and getting hit[in life] with a lot more than when I was eighteen years old practicing Maai San Jong. Which doesn't mean I have to go through it. On the other hand, when advancing to the last Domain of the System, Carlos Antunes developed this ability to not “drag chains from the past” by cutting, as one cuts with knives. I, on the other hand, continued to “go full in” as I did at Maai San Jong in 2002. And that's why maybe life isn't so light for me. There is no tuning with Si Fu. Heart with heart is better than fist against fist.. 


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira “Moy Fat Lei”
moyfatlei.myvt@gmail.com