Apoie o Blog!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2023

DOK GWAN[度棍] - Master Julio Camacho´s hidden power for a better Luk Dim Bun Gwan

 

[Si Fu pratica caligrafia no escritório de uma enorme casa que serviu de Mo Gun entre 2010 e 2012]
[Si Fu practices calligraphy in the office of a huge house that 
served as Mo Gun between 2010 and 2012]

Muitos e muitos anos atrás, estava com meu Mestre Julio Camacho[foto acima] entrando em seu carro no estacionamento de um shopping. Era um dia muito difícil para mim e eu tentava convencer o Si Fu que não me seria possível sair daquela situação.- “Você consegue sim.” - Disse ele. Entramos em seu carro e ele me levou até um condomínio entre a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes, ambos bairros da Zona Norte do Rio. Paramos em algum ponto que dava para ver uma casa ultra grande. Saímos do carro, ele me falou pela primeira vez, que queria mudar o Mo Gun para aquela casa enorme naquele condomínio fechado. - “E aí? Você acha que eu consigo?” - Ele me perguntou enquanto apoiava as mãos na cintura com um largo sorriso. Eu respondi que sim. E ele então perguntou: “E por que você não conseguiria?” - Ficamos em silencio admirando a casa.

Many, many years ago, I was with my Master Julio Camacho [photo above] getting into his car in the parking lot of a mall. It was a very difficult day for me and I was trying to convince Si Fu that it would not be possible for me to get out of that situation.- "You can do it." - He said. We got into his car and he took me to a condominium between Barra da Tijuca and Recreio dos Bandeirantes, both neighborhoods in the North Zone of Rio. We stopped at some point where we could see a super gigantic house. We got out of the car, he told me for the first time, that he wanted to move the Mo Gun to that huge house in that gated community. - "So what? Do you think I can do it?” - He asked me while resting his hands on his hips with a wide smile. I replied yes. And he then asked: “And why wouldn’t you?” - We stood in silence admiring the house.

Quando somos jovens ou imaturos, nossos movimentos são imprecisos. Temos um Kung Fu expansivo e em muitos casos isso também está presente em nosso dia a dia. Eu comecei a praticar o Luk Dim Bun Gwan [Domínio do Sistema Ving Tsun em que se usa o bastão da foto acima], aos 23 anos de idade. Eu não entendia, que só porque tinha energia e força de sobra para pegar o bastão do chão e me posicionar no que eu entendia como a guarda [ Gwan Jong 棍樁], significava que eu deveria faze-lo de qualquer maneira. Eu simplesmente levantava o bastão e era isso... E foi assim por muitos anos... 
Si Fu dizia as vezes, que não podemos saber quando algo começou de fato, apenas decidimos um marco inicial. E de certa forma, no Ving Tsun também é assim: Precisamos identificar um posicionamento que favoreça o que estamos buscando. As coisas se realizam não porque somos capazes de “fazer acontecer”, mas elas se dão através de um processo que transforma a situação e que chega ao efeito que desejamos. Por isso a importância do DOK GWAN[度棍]...

When we are young or immature, our movements are imprecise. We have expansive Kung Fu and in many cases this is also present in our daily lives. I started practicing Luk Dim Bun Gwan [Domain of the Ving Tsun System in which the staff in the photo above is used], at the age of 23. I didn't understand, that just because I had plenty of energy and strength to pick up the staff from the ground and position myself in what I understood to be the guard position [Gwan Jong 棍樁], meant that I had to do it anyway. I simply used to lift the staff and that was it... And it was like that for many years...
Si Fu sometimes said that we cannot know when something actually started, we just decide on a starting point. And in a way, in Ving Tsun it is also like this: We need to identify a position that favors what we are looking for. Things come true not because we are able to “make it happen”, but they are given through a process that transforms the situation and reaches the desired effect. That's why the importance of DOK GWAN[度棍]...
[Com medo de machucar ainda mais meus joelhos, quando retornei a prática constante durante o Lockdown, não me apoiava no bastão para dispará-lo, e usava apenas força bruta].

[Afraid of hurting my knees even more, when I returned to constant practice during Lockdown, I didn't lean on the staff to shoot it, and used only brute force].

Si Fu tem apostado muito em uma expressão minimalista e ao mesmo tempo eficaz do Kung Fu. Ele tem gastado muitos minutos semanalmente conosco, para que percebamos melhor as condicionantes do que o efeito. É como nos ajudar a enxergar melhor através do que está invisível em cada componente do Sistema. 
O Dok Gwan[度棍] é a medição que fazemos com o bastão com ele em mãos, é o momento em que abordamos o disparo do bastão antes mesmo dele acontecer, quando o bastão ainda está com uma de suas extremidades no chão e nos conformamos a ele antes de posicioná-lo em guarda  [ Gwan Jong 棍樁]. O Dok Gwan[度棍] acontece quando a situação ainda é fácil, e a partir dele, deixamos cada procedimento nos levar até a dificuldade, sabendo de antemão, que nós iremos superá-la.

Si Fu has invested a lot in a minimalist and at the same time effective expression of Kung Fu. He has spent many minutes each week with us so that we are more aware of the constraints than the effect. It's like helping us to see better through what is invisible in each component of the System.
The Dok Gwan[度棍] is the measurement we make with the staff in hand, it is the moment when we approach the shooting [Biu Gwan] even before it happens, when the staff is still with one of its ends on the ground and we conform to it before stationing it on guard [Gwan Jong 棍樁]. Dok Gwan[度棍] happens when the situation is still easy, and from there, we let each procedure lead us to difficulty.knowing in advance that we will overcome it.
[Com Si Fu em nosso querido hotel IBIS Congonhas em São Paulo, 2017]
[With Si Fu at our beloved IBIS Congonhas hotel in São Paulo, 2017]

Havíamos acabado de ter uma reunião numa pizzaria do Shopping Barra Garden com alguns discípulos, a Si Suk Ursula e o Si Fu. Era uma noite qualquer de Setembro de 2012, o projeto da enorme casa no Condomínio fechado não tinha saído como esperado, e Si Fu decidira retornar para o querido prédio Blue Sky com nosso Mo Gun. Enquanto descia as escadas do shopping, um irmão Kung Fu me disse algo não muito legal - Devido o momento que estávamos passando, ouvi aquilo com certa indignação mas não comentei nada... No ano seguinte porém, tive uma oportunidade de tocar no assunto. Si Fu teria dito uma coisa que me marcou muito - “...A casa por ser maior Thiago, nos ofereceria maiores possibilidades. A ideia era que discípulos pudessem morar lá, e acontecessem uma série de projetos... No Mo Gun antigo estavamos no limite da capacidade do local... Então mesmo numa situação difícil, achei que para crescer, precisávamos de um lugar maior...” - Concluiu Si Fu. 
Portanto ontem durante uma aula , Si Fu comentou sobre como devemos nos apoiar na propensão das coisas. Ele citou a ideia de deixar o bastão descer sozinho a partir da guarda, para que nos aproveitemos do peso dele para disparar. - “...Seria como a ideia da água, certo Si Fu?” - Indagou um irmão Kung Fu. - “...Eu prefiro o próprio 'homem'...” - Disse ele- “...Água não escolhe não ser água. A água não pode escolher não avançar, você pode...”
....

“E aí? Você acha que eu consigo?” - Ele me perguntou enquanto apoiava as mãos na cintura com um largo sorriso. Eu respondi que sim. E ele então perguntou: “E por que você não conseguiria?” - Ficamos em silencio admirando a casa. 
Lembrei-me desse diálogo voltando para casa ontem, porque somos nós que decidimos conseguir ou não. Desde que nos apoiemos na propensão das coisas, e cuidemos delas em seu estágio embrionário, como o DOK GWAN[度棍] 

We had just had a meeting at a pizzeria at Barra Garden Mall with some disciples, Si Suk Ursula and Si Fu. It was a random night in September 2012, the project for the huge house in the gated community had not gone as expected, and Si Fu had decided to return to the beloved Blue Sky building with our Mo Gun. While I was going down the stairs of the mall, a Kung Fu brother said to me something not so cool- Due to the moment we were going through, I heard that with some indignation but I didn't comment on anything .. The following year, however, I had an opportunity to bring up the subject. Si Fu would have said something that marked me a lot - “...The house, being bigger Thiago, would offer us greater possibilities. The idea was that disciples could live there, and a series of projects could happen... In the Mo Gun before that one, we were at the limit of the capacity of the place... So even in a difficult situation, I thought that in order to grow, we needed a bigger place... .” - Si Fu concluded.
So yesterday during a class, Si Fu commented on how we should lean on the propensity of things. He mentioned the idea of letting the staff come down by itself from the guard position, so that we can take advantage of its weight to shoot. - "... It would be like the idea of water, right Si Fu?" - Asked a Kung Fu brother of mine. - “...I prefer 'like a man' ...” - He said- “...Water does not choose not to be water. Water cannot choose not to move forward, you can...”
....

"So what? Do you think I can?” - He asked me while resting his hands on his hips with a wide smile. I replied yes. And he then asked: “And why wouldn’t you?” - We stood in silence admiring the house.
I remembered this dialogue returning home yesterday, because we decided to make it or not. As long as we rely on the propensity of things, and take care of them in their embryonic stage, like DOK GWAN[度棍]


A Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com.